Uma escuridão bonita

Resenha crítica publicada em minha coluna no site Artistas gaúchos e em seções de resenhas e de artigos e reflexões dos sites Escrita criativa e Oficina de escrita literária online. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Uma escuridão bonita. Artistas gaúchos, Porto Alegre, 17 jan. 2023. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Uma escuridão bonita. Escrita criativa, Porto Alegre, 17 jan. 2023. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Uma escuridão bonita. Oficina de criação literáriaContinuar lendo “Uma escuridão bonita”

A filha primitiva

Resenha crítica publicada em minha coluna no site Artistas gaúchos e em seções de resenhas e de artigos e reflexões dos sites Escrita criativa e Oficina de escrita literária online. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. A filha primitiva. Artistas gaúchos, Porto Alegre, 16 dez. 2022. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. A filha primitiva. Escrita criativa, Porto Alegre, 16 dez. 2022. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. A filha primitiva. Oficina de criação literáriaContinuar lendo “A filha primitiva”

Cohab Goya

Resenha crítica publicada em minha coluna no site Artistas gaúchos e em seções de resenhas e de artigos e reflexões dos sites Escrita criativa e Oficina de escrita literária online. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Cohab Goya. Artistas gaúchos, Porto Alegre, 14 out. 2022. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Cohab Goya. Escrita criativa, Porto Alegre, 14 out. 2022. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Cohab Goya. Oficina deContinuar lendo “Cohab Goya”

“Cohab Goya”: uma resenha crítica

Cohab Goya é o novo livro do poeta e músico leopoldense Éverton Luiz Cidade, publicado pela Editora Folheando. Estilisticamente, surpreendem e arrebatam o esmero e a mestria do autor na exploração de figuras de efeito sonoro, principalmente a aliteração (repetição de consoantes) e a alternância de sons semelhantes na estrutura interna de vocábulos diferentes, eContinuar lendo ““Cohab Goya”: uma resenha crítica”

Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (5)

Reflexões finais Há cem anos, nascia o educador e filósofo Paulo Freire; e há vinte e cinco anos, era publicada “Pedagogia da autonomia”, uma de suas principais obras, a qual aponta a importância do construtivismo para recriação de práticas educacionais. Ao indicar a curiosidade e o sentimento humano de inconclusão como propulsores da busca porContinuar lendo “Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (5)”

Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (4)

Algumas ideias principais Paulo Freire apresenta relações de ensino-aprendizagem como processos dialógicos e construtivos. Não há docência sem discência, ou seja, professores aprendem enquanto ensinam, assim como alunos ensinam enquanto aprendem. O conhecimento torna-se construção mútua. Ensinar não é transferência de conhecimento, mas a criação de possibilidades para produção e construção de conhecimento. Ensinar aContinuar lendo “Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (4)”

Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (3)

Capítulo 3 – Ensinar é uma especificidade humana Ensinar requer segurança e firmeza de atuação e decisão, respeito à liberdade e humildade para discutir posições e aceitar se rever. Assim é a autoridade exercida com sabedoria. Ensinar exige segurança, competência profissional e generosidade. A incompetência desqualifica a autoridade de professores, mas a segurança e aContinuar lendo “Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (3)”

Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (2)

Capítulo 2 – Ensinar não é transferir conhecimento Professores devem estar abertos a indagações. Seus discursos sobre teorias devem ser exemplos concretos, práticos, sobre as teorias. Ao falarem da construção do conhecimento e ao criticarem paradigmas de ensino de extensão ou transferência de conhecimento, já devem estar envolvidos na construção e nela, a construção, devemContinuar lendo “Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (2)”

Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (1)

Capítulo 1 – Não há docência sem discência Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para sua produção ou construção. A pedagogia tradicional produz equívocos nas relações de ensino e aprendizagem ao considerar professores como sujeitos formadores e alunos como objetos por eles formados. Em reproduções permanentes, objetos formados tendem a se transformar emContinuar lendo “Sobre “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa”, de Paulo Freire (1)”