Tendências hegemônicas na constituição da poesia moderna

No início do século XX, mais especificamente entre 1900 e 1914, período antecedente à Primeira Guerra Mundial , desenvolviam-se importantes movimentos de vanguarda artística na Europa cujas estéticas, posteriormente, consolidariam as características da denominada Arte Moderna. Na Literatura, as tendências dominantes eram o Simbolismo, o Futurismo, o Expressionismo e o Cubismo.

O Simbolismo surgiu na França, em 1857. Tem como seus precursores e expoentes os poetas franceses Charles Pierre Baudelaire, Stéphane Mallarmé, Paul Marie Verlaine e Jean-Nicolas Arthur Rimbaud.

Charles Baudelaire viu a poesia com um fim em si mesma, dissociada da Ciência e da moral. Em seus poemas, a interpretação da realidade exterior e interior é feita através da percepção dos sentidos, de forma sinestésica, e em dimensão transcendente e universal. Baudelaire soube captar sua época e transfigurá-la em linguagem poética, observar o exterior e revelar o interior humano, transformar a interpretação da realidade pelos sentidos, elevá-la e transcendê-la aos planos mítico e universal.

Mallarmé observou princípios semelhantes e ateve-se à expressão conativa, à musicalidade e à sonoridade das palavras, consideradas entidades autônomas e livres para evocação do sublime, das impressões e do ausente. Verlaine também enfatizou os aspectos rítmicos e a musicalidade. Já Rimbaud explorou a poesia como alucinação de palavras e sentidos que não expressam, mas sim criam um mundo não acorrentado a evocações e referências à realidade histórica.

O Futurismo surgiu como movimento estético em 1909, em manifesto do escritor e poeta italiano Filippo Tommaso Marinetti. Os pontos fundamentais da estética futurista são a exaltação da vida moderna, das inovações tecnológicas e do desenvolvimento científico. Estilisticamente, propôs a destruição da sintaxe e a simbiose semiótica entre palavras e símbolos como os matemáticos, musicais e visuais.

O Expressionismo, na Literatura, surgiu em 1910, na Alemanha, com a publicação da revista literária Der Sturm (“A Tempestade”). Como estética literária, fundamenta-se na manifestação ou expressão do mundo interior do artista e na materialização poética de imagens nascidas na psique humana, sem apego aos conceitos vigentes de beleza formal e razão lógica.

O Cubismo, na Literatura, surgiu em manifesto do escritor francês Guillaume Apollinaire, em 1913. Como estética literária, fundamenta-se na aproximação com as várias manifestações artísticas, na exploração dos espaços em branco na construção do texto, na liberdade de uso e de criação de palavras. Estilisticamente, propôs a destruição das sintaxes já condenadas pelo uso, o emprego do verso livre e a negação da estrofe, da rima e da harmonia como pressupostos da criação poética.

Foto por cottonbro em Pexels.com

Publicado por eleniltosaldanhadamasceno

Sou professor de Língua Portuguesa e de Literatura, jornalista e iniciei, em 2020, minhas atividades como escritor em formação e em ação. Sou mestre em Letras/Estudos de Literatura, especialista em Literatura Brasileira, graduado em Letras e em Jornalismo. Tenho 54 anos, nasci e sempre vivi em São Leopoldo/RS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: