O narrador demiúrgico

De acordo com a Filosofia platônica, o termo “demiurgo” designa o criador dos seres humanos. Na mitologia grega, os deuses eram considerados os criadores dos seres humanos, cujos destinos conheciam, interferiam e determinavam. Esse poder de onisciência sobre todos os fatos, ações e pensamentos das personagens caracteriza o narrador heterodiegético demiúrgico, o qual apresenta umaContinuar lendo “O narrador demiúrgico”

A crítica social na poesia satírica de Bocage

O escritor português Manuel Maria L’Hedoux Barbosa du Bocage, expoente da poesia satírica no contexto histórico-cultural do final do século XVIII, era filho de advogado, parente da poetisa francesa Madame du Bocage e cresceu num ambiente familiar impregnado de cultura. Homem brilhante, viveu numa sociedade retrógrada que encarnava os valores impostos pela tradição católica eContinuar lendo “A crítica social na poesia satírica de Bocage”

O classicismo latino na poesia árcade (2)

No texto anterior, observou-se a influência do Classicismo greco-latino e do tópico-chave conceitual carpe diem na poesia árcade, mais especificamente na obra do escritor português Manuel Maria Barbosa du Bocage, considerado o grande poeta arcádico da Língua Portuguesa. No Brasil, despontou um núcleo de criação literária em Vila Rica, Minas Gerais, que reuniu alguns poetas, entre osContinuar lendo “O classicismo latino na poesia árcade (2)”

O classicismo latino na poesia árcade (1)

Anteriormente, tratou-se da influência do Classicismo greco-latino, mais especificamente do tópico-chave conceitual carpe diem, do poeta clássico latino Horácio, no Classicismo renascentista e na poesia barroca de Gregório de Matos. Observou-se que o Barroco do século XVII extrapolou um pouco os valores do Classicismo renascentista e se tornou um estilo caracterizado pelo dinamismo da formaContinuar lendo “O classicismo latino na poesia árcade (1)”

O classicismo latino na poesia barroca

No período da Renascença, movimento artístico e científico dos séculos XV e XVI, perseguiu-se a ideia da perfeição formal para a qual foram definidas, como modelos, as produções artísticas e literárias da Antiguidade Clássica. Daí a origem do termo Classicismo para designar a doutrina e o estilo artístico e literário baseados na tradição clássica greco-latina.Continuar lendo “O classicismo latino na poesia barroca”

Instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente (3)

O artigo sobre os instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente, observados a partir de conceitos propostos pelo teórico estruturalista russo Vladimir Propp, chega ao final com a análise sobre a presença de outros recursos cômicos linguísticos em obras do escritor português: expressões grosseiras, ditados populares e alguns outros elementos. Expressões grosseiras TermosContinuar lendo “Instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente (3)”

Instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente (2)

A série prossegue com a análise da presença de outros recursos cômicos linguísticos em obras do dramaturgo português Gil Vicente: a ironia, a eloquência vazia e o jargão. Ironia Vladimir Propp, em sua obra “Comicidade e riso”, também aborda a ironia, a qual corresponde ao uso de palavras com um determinado sentido, mas de formaContinuar lendo “Instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente (2)”

Instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente (1)

Segundo Vladimir Propp, “a língua constitui um arsenal muito rico de instrumentos de comicidade e de zombaria”. A linguagem é uma propriedade particular dos seres humanos. Assim, conforme Henri Bérgson, não existe o cômico fora do que é propriamente humano. O riso é produto da consciência sobre o absurdo e a efemeridade da vida humana,Continuar lendo “Instrumentos linguísticos da comicidade na obra de Gil Vicente (1)”

Legados das cantigas trovadorescas portuguesas no cancioneiro popular brasileiro

A lírica trovadoresca surge entre os séculos XI e XIII, com o desenvolvimento de literaturas nacionais. A partir do século XII, tornam-se distintos dois modelos literários específicos na França, os quais se irradiam para outros lugares: no Norte, um modelo baseado em feitos épicos, lutas e códigos de valores da cavalaria, tipificado nas canções deContinuar lendo “Legados das cantigas trovadorescas portuguesas no cancioneiro popular brasileiro”

Textos do Novo Testamento nas crônicas de Machado de Assis

Meu primeiro e-book individual. DAMASCENO, Elenilto Saldanha. Textos do Novo Testamento nas crônicas de Machado de Assis. Belo Horizonte / Rio de Janeiro: Editora Dialética / Cumbuca Studio, 2021. Disponível para aquisição em: Amazon.com.br eBooks Kindle: Textos do Novo Testamento nas Crônicas de Machado de Assis, Damasceno, Elenilto Saldanha https://books.apple.com/br/book/textos-do-novo-testamento-nas-cr%C3%B4nicas-de-machado-de-assis/id1572287180 Textos do Novo Testamento nas CrônicasContinuar lendo “Textos do Novo Testamento nas crônicas de Machado de Assis”