O narrador demiúrgico

De acordo com a Filosofia platônica, o termo “demiurgo” designa o criador dos seres humanos. Na mitologia grega, os deuses eram considerados os criadores dos seres humanos, cujos destinos conheciam, interferiam e determinavam.

Esse poder de onisciência sobre todos os fatos, ações e pensamentos das personagens caracteriza o narrador heterodiegético demiúrgico, o qual apresenta uma visão global da história, com conhecimento absoluto sobre o passado, o presente e o futuro na narrativa.

É um tipo de narrador cuja autoridade não é posta em causa. Com seu poder de onisciência, apresenta-se como um deus com domínio e saber plenos sobre todos os pensamentos, sentimentos e atitudes das personagens.

Narra de uma posição que transcende o espaço, o tempo e a subjetividade das personagens. O narrador demiúrgico é sujeito do enunciado em posição espacial privilegiada, acima da diegese, sobre a qual sabe tudo. Distancia-se, como sujeito da enunciação, daquilo que narra. Torna-se mediador absoluto entre a história e quem a lê.

No uso do discurso indireto livre, o narrador heterodiegético demiúrgico pode dar vazão às falas e pensamentos das personagens e lhes conferir um pouco de autonomia. Contudo, ele sempre mantém a autoridade discursiva; nesses casos, estaria apenas a abrir mão, momentaneamente, dessa autoridade derivada da consciência total sobre todos os fatos narrados. Conhece todas as relações entre o que é exterior (a realidade na diegese) e o que é interior (a “alma” das personagens), e mesmo com pleno conhecimento sobre tudo, ainda é capaz de se manter distante do todo e analisá-lo objetivamente.

O narrador demiúrgico escolhe a distância e o ângulo, seleciona e desnuda. Comanda o ritmo, o olhar e a narração. Ele não atua no universo diegético; ele o apresenta. Surge a bipolaridade entre o narrador e o universo ficcional apresentado. Aqui, reside a máxima justificação de sua autoridade, pois narra de forma impessoal, não participa daquilo que narra, mas tem pleno conhecimento sobre tudo o que se refere à narrativa. Seu conhecimento é ilimitado. Sabe o destino das personagens e para onde se dirige a narração.

Foto por Alex Azabache em Pexels.com

Publicado por eleniltosaldanhadamasceno

Sou professor de Língua Portuguesa e de Literatura, jornalista e iniciei, em 2020, minhas atividades como escritor em formação e em ação. Sou mestre em Letras/Estudos de Literatura, especialista em Literatura Brasileira, graduado em Letras e em Jornalismo. Tenho 54 anos, nasci e sempre vivi em São Leopoldo/RS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: